top of page
Buscar

Música em parceria: saiba porque e como fazer um feat com outros artistas da cena

Produzir trabalhos solos requer grande esforço mas garante reconhecimento do seu potencial. Agora imagine sair da bolha para trabalhar com outros artistas e expandir seu networking e seu público? Sim, isso é possível e as parcerias são uma excelente alternativa para divulgar seu trabalho de forma efetiva. Pensando nisso, a Milk Music te explica o porquê você deve fazer e dicas de como fazer seu primeiro feat. Vem conferir:


Feat (a abreviatura de featuring em inglês), sugere a parceria entre artistas. Com a ascensão das plataformas digitais, essa estratégia se faz presente no planejamento daqueles que querem expandir seu trabalho para outros nichos musicais e propõe uma maior visibilidade do seu trabalho para públicos diferentes.


PORQUE ELA É IMPORTANTE?


1) Enriquecer o seu trabalho, sua carreira e seu networking:

Além de enriquecer seu projeto com referências de outros gêneros sonoros, essa estratégia também é utilizada pelas gravadoras para alcançar um público maior e impulsionar carreiras. As colaborações são bem frequentes entre artistas famosos e principalmente aqueles que estão buscando se destacar. Durante o processo, você pode expandir sua lista de contatos com pessoas relevantes do mercado, incluindo empresários e outros artistas. Já através do resultado, surge a atração e a atenção de diferentes públicos, aumentando sua visibilidade. Por isso, é imprescindível que você comece a utilizá-la no seu planejamento de carreira.



Anitta é um exemplo forte da indústria que aposta em diversos feats de diversos gêneros, desde suas raízes do funk ao pop, do reggaeton internacional ao sertanejo. Ela ao lado da cantora Marília Mendonça com “Some que ele vem”. | Foto: Fábio Cordeiro/Gshow


2) Uma forma alternativa de ganhar lucros:

Quando você faz parte de uma produção artística de outro músico está se incluindo na criação e concepção desse material, logo tem direitos sobre ele e os royalties (dinheiro acumulado da venda de discos e receitas do streaming nas plataformas digitais) devem ser divididos entre as partes envolvidas. Se a produção for feita com um artista de um gênero oposto, no streaming a curadoria pode inseri-la em mais playlists editoriais. Assim, gera múltiplas reproduções em diferentes listas musicais, incentivando para que seja mais consumido. Já para os direitos autorais, se a música for transmitida na rádio, locais públicos ou pela TV, por exemplo, você também tem o direito de pedir um percentual.


Importante: Dependendo do seu contrato, esse valor pode variar bastante de acordo com a contribuição de ambos à produção. É importante estar atento às condições contratuais antes de assinar qualquer documento.



DICAS DE OURO DA MILK:


  • Escolha parcerias de forma estratégica, para que estejam de acordo com o seu trabalho e possam agregá-lo de forma efetiva.


  • Não limite seus convidados e vá além. Se deseja fazer uma participação especial com o seu ídolo, por exemplo, não desista. Entre em contato com a equipe artística para tirar dúvidas, deixar claro suas intenções e a essência do seu projeto musical.


  • Se você tiver dúvidas na escolha de um músico, se pergunte: Ele irá enriquecer a minha música? A sua voz combina com a minha? Qual o objetivo da parceria, afinal? (compartilhamos o mesmo tipo de público ou seria uma mistura diferenciada que pode me trazer novos fãs)


  • Nunca faça um feat apenas para atrair visibilidade. Comentamos os benefícios que podem surgir, mas se não houver uma estratégia artística bem clara e que contribua na qualidade da sua música, poderá transparecer como mais uma estratégia de marketing.


171 visualizações

Comentários


bottom of page