top of page
Buscar

5 ferramentas da inteligência artificial na música

Com o avanço da tecnologia e o surgimento da AI (artificial intelligence ou inteligência artificial), surgiram ferramentas capazes de ajudarem os músicos e compositores a criarem novas canções ou até mesmo a editar uma música já existente.


Por meio do machine learning (aprendizado de máquina) e dos algoritmos avançados, as ferramentas são capazes de gerar melodias, ritmos e harmonias, se adaptando aos vários estilos musicais existentes ou até criando novos.


Além disso, tais ferramentas podem ser úteis para gerar novas ideias musicais, auxiliar na harmonização, criar arranjos instrumentais novos, identificar padrões, sugerir variações de melodias e, claro, auxiliar na mixagem e na masterização. Foi pensando nisso que listamos as cinco principais ferramentas da AI na música e como utilizá-las. Confira abaixo.


inteligência artificial na música


Com essa plataforma é possível criar músicas personalizadas para vídeos, podcast e outras produções audiovisuais. Basta fornecer alguns dados como o ritmo e o humor escolhido para que a ferramenta crie uma.


Lembrando que ela não trabalha com loops ou composições pré-existentes e/ou licenciadas, por isso cada música é escrita por notas a partir do zero. Outra vantagem de usar a Amper Music é que ela calibra os parâmetros de áudio, e você nem precisa ter conhecimento técnico para usá-la.


Para utilizá-la, o usuário pode optar entre o modo gratuito, no qual as músicas precisam ser compradas sendo US$ 29 o valor da licença pessoal e $1.199 o preço da licença para os anúncios na internet.


2 - AIVA


Outra ferramenta que permite que seus usuários criem trilhas sonoras para anúncios, videogames, podcasts, etc., é a AIVA. Além de ser possível criar músicas desde o início, também é permitido produzir variações de canções já existentes.


Entre as principais funcionalidades estão o fato de poder modificar o ritmo da batida da música e definir as frequências. A plataforma também libera tutoriais para seus usuários, de modo que até os leigos conseguem usá-la sem maiores problemas.


Criada em 2016, a AIVA já lançou uma música produzida por AI. Trata-se do Opus 1 for Piano Solo. Anos depois, a plataforma também lançou um álbum e compôs músicas para um videogame.

No que diz respeito aos direitos autorais, a versão gratuita da AIVA, não concede permissões ao usuário e só permite o download de até três conteúdos por mês.


Desse modo, quem quiser ter acesso aos direitos deverá optar pela versão paga, sendo possível escolher entre o plano padrão (cerca de R$ 61 mensais, na modalidade anual) ou o plano pro (cerca de R$183). Basicamente a diferença entre eles diz respeito ao número de downloads permitidos.



O Boomy AI é uma plataforma de fácil usabilidade, ideal para quem deseja criar uma melodia para servir de base para suas próprias canções. Ao acessar a plataforma, o usuário precisa apenas indicar o gênero musical desejado, e em seguida receberá várias sugestões de batidas que se encaixam na sua ideia original.


Com a melodia em mãos, é possível encaixar vocais à música, assim como outros sons de instrumentos e ainda editar as batidas.


Tamanha praticidade faz com que fique mais simples criar uma canção inédita. A desvantagem, no entanto, é que a ferramenta detém todos os direitos das músicas criadas na plataforma, e para baixá-las é preciso pagar. E, se você está se perguntando como funciona o Boomy, vamos te falar.


Há três opções de assinaturas disponíveis: a gratuita, na qual você pode criar até 25 músicas por mês, mas não consegue baixá-las, o plano creator que custa cerca de 10 dólares (quase R$ 50 na moeda atual) e no qual você pode fazer o download de até 10 músicas mensalmente e criar outras 500.


A terceira opção é o pro, a mais cara, que custa 30 dólares (pouco mais de R$ 143) e não impõe limite de criação ou download.



O Soundful é uma boa opção para aqueles usuários que buscam uma ferramenta de AI na música e não tem muito conhecimento em edição de áudio. A principal vantagem dele é não cobrar por direitos autorais e ainda conta com uma interface simples e intuitiva, daquelas que não precisam de muito esforço para usá-la.


Antes de iniciar o processo de criação, o Soundful coleta as preferências do usuário em relação aos gêneros, como Pop, Hip Hop, entre outros.


Após isso, ela permite a personalização da música criada com base no ritmo (medido em batidas por minuto) e a escolha das notas e tonalidade, o que se traduz em um resultado final mais autêntico e cheio de personalidade.


Vale falar também, que o Soundful permite a criação de loops, e ainda entrega uma biblioteca completa com diversos modelos para se inspirar, sem falar, nas faixas compartilhadas por outros usuários.


Para utilizar a ferramenta, o usuário pode escolher entre a versão gratuita que limita a 10 músicas baixadas por mês, ou o plano Content Creator, no qual é possível baixar até 100 faixas mensalmente e utilizá-las de forma comercial, tudo isso pagando US$ 30 por ano.


Por último, há ainda o Music Creator Plus, que custa US$ 60 ao ano e oferece a possibilidade de até 300 downloads mensais e direitos autorais disponíveis para a compra.



Por fim, mas não menos importante, essa ferramenta de AI na música oferece aos usuários um controle minucioso sobre as faixas geradas. Além disso, dentro da ferramenta é possível importar um vídeo para a janela do editor, de modo que se visualize uma prévia de como música e vídeo se encaixarão.


Ao criar uma nova faixa, é possível escolher a cena desejada (aventura, moda, viagem, estilo de vida, etc) e o gênero musical. Com base nessas escolhas, o Ecrett prepara uma base editável na qual é possível controlar até mesmo o volume.


Outro diferencial é que o som de cada instrumento ocupa uma faixa própria na plataforma, o que faz com que editá-los seja mais simples e intuitivo.


Vale lembrar que no plano gratuito não é possível fazer o download das melodias livres de royalties. Já no individual, essa funcionalidade fica disponível e você paga US$ 8 (por volta de R$35) por mês e pode até utilizar as músicas na monetização no YouTube.


Por fim, o business oferece as mesmas funcionalidades do individual, mas é voltado para empresas e custa US$ 24 (R$ 120 em conversão direta).


Por que usar ferramentas da AI na música?


Com tantas ferramentas à disposição e de fácil acesso é realmente tentador usar a inteligência artificial para a criação de uma música, melodia ou single. Ainda que o uso da AI seja um assunto um tanto quanto polêmico, de fato, a tecnologia tem ajudado muito os criadores e compositores, dando insights que contribuem para a criatividade.


inteligência artificial na música

Apesar disso, é importante se atentar aos direitos autorais e às permissões de uso das obras e fonogramas criados por essa plataforma, pois uma vez desrespeitados, podem acabar gerando conflitos financeiros e judiciais.


Com isso em mente, caso queira testar uma dessas ferramentas e tirar suas próprias conclusões, escolha a que mais lhe agrada, e bom trabalho!


618 visualizações

Comentários


bottom of page