top of page
Buscar

Entenda a diferença entre obra e fonograma


Madonna no estúdio com Max Martin, um dos maiores compositores da música Pop no mundo


Quando se trata do mercado da música, é comum encontrarmos os termos "obra" e "fonograma". No entanto, é importante entender a diferença entre eles. Embora relacionados, possuem significados distintos e desempenham papéis essenciais na indústria fonográfica.


Neste artigo, vamos explorar de forma clara e didática essa diferença, usando exemplos para ilustrar o que é e o que não é cada um desses conceitos.


Obras Musicais:


Uma obra musical é a criação intelectual de uma composição musical. Ela inclui a melodia, a letra (quando aplicável), a harmonia, a estrutura e todos os elementos musicais que a compõem.


Um exemplo de obra musical é a famosa canção "Yesterday" dos Beatles, composta por Paul McCartney. A letra, a partitura e uma demonstração ao vivo - cantada por qualquer pessoa - são todas formas físicas da obra.


Essa representação é o que permite que a obra seja materializada em diferentes formatos, como o fonograma. Se você apontar a versão do álbum ou qualquer regravação da obra, estamos falando da obra somada a um registro de gravação, ou seja, um fonograma.



Fonogramas:


O fonograma é a gravação da interpretação de uma obra musical em um suporte físico ou digital. Ele captura o desempenho da obra em um determinado momento e local. Um exemplo de fonograma é o álbum "Thriller" de Michael Jackson, que contém as gravações das performances das músicas que compõem o álbum. Essas gravações podem ser feitas em estúdio ou em uma apresentação ao vivo que seja registrada em áudio.


Diferenciação: É importante destacar que uma obra musical e um fonograma têm direitos autorais distintos. A obra musical é protegida pelos direitos autorais, concedendo ao seu criador ou titular os direitos exclusivos sobre a reprodução, distribuição, execução pública e adaptação da composição. Por outro lado, o fonograma possui seus próprios direitos.


Os artistas intérpretes ou executantes, assim como as gravadoras (na maioria dos casos), possuem direitos exclusivos sobre a reprodução, distribuição, execução pública e adaptação do fonograma.


Em resumo, a diferença entre obra e fonograma está no fato de que a obra musical é a criação intelectual da composição musical em si, enquanto o fonograma é a gravação da interpretação dessa obra.

A obra é protegida pelos direitos autorais e o fonograma possui direitos autorais próprios e distintos.


Compreender essa distinção é essencial para todos os envolvidos na indústria da música, desde compositores até artistas e gravadoras.

86 visualizações

Commentaires


bottom of page